_30/08

Exposição “No olho da rua”




O artista Francisco Maringelli atende pelo apelido de “Chicão” e ministra aula de gravura no curso de Artes Visuais da BA.

Do dia 9 de setembro a 9 de outubro, podemos ver 26 xilogravuras do mestre Chicão, expostas na Galeria Gravura Brasileira, em uma individual denominada “No olho da rua”.

maringelli1

Abaixo, seguem algumas informações sobre a exposição, retiradas do site da galeria:

“Em sua primeira individual na Galeria Gravura Brasileira intitulada NO OLHO DA RUA, Francisco Maringelli apresenta um conjunto de 14 xilogravuras de fio (50X70 cm) e um segundo grupo de 12 xilogravuras com dimensões menores, impressas em preto sobre papel japonês.

As gravuras são complementadas pelo livro de artista AO LARGO cuja realização se fundamentou nas xilogravuras e gravuras em relevo, feitas a partir de matrizes de duratex, responsáveis pela inserção das cores ou tonalidades em cada uma das imagens. O livro pretende circunscrever a paisagem situada em torno do largo da Batata , no bairro de Pinheiros, que descarta o largo respiro do panorama, pois o artista prefere se deter nos indíces urbanos paulistanos que se avizinham do desaparecimento: sobrados, “orelhões”, fiação elétrica exposta, armazéns desprovidos de mercadorias, calçamentos estampando o mapa de São Paulo e outros.

O aspecto provisório de uma cidade em obras, representado pelos tapumes, grafites, entulho, caçambas, carroças e seus condutores, também lá estão, atestando uma paisagem vista porém, deliberadamente ignorada.

Todas as gravuras da mostra NO OLHO DA RUA foram realizadas em 2010.
As duas séries expostas na parede tematizam um recorte da paisagem circunscrito a um espectro maior de pontos de referência paulistanos sempre visitados pelo artista: o largo da Batata, o Bom Retiro, a baixa Augusta e a Brigadeiro Luiz Antônio.

As gravuras que compõem NO OLHO DA RUA estão em consonância com o texto de apresentação da mostra “OLHO NO ESCOLHO” de autoria do também curador da mesma, .Luiz Armando Bagolin:

‘Vagando sem norte o pouco que sobrou por estes lugares, rareiam gradualmente os índices de outrora, convertidos socialmente em intrusos abstrusos de futuro, para eles, portanto, não planejado’.”

GALERIA GRAVURA BRASILEIRA:
Rua Dr. Franco da Rocha, 61, Perdizes, São Paulo, SP
Tel. 11 3624.0301 / 3624.9193
Horário de funcionamento: Segunda a Sexta: 10h às 18h, e Sábado: 11h às 13h