5 Mitos e Desafios em RP: Camila Fusco, da Movile, fala sobre Inovação e Influência

Postado em

Por Lydia Reis e Emanuelly Cardoso – 3º Semestre de Jornalismo

Na manhã de 23 de abril, durante a IV Jornada de Comunicação do Centro Universitário Belas Artes, Camila Fusco, Diretora de Relações Públicas e Comunicação da Movile, ministrou a palestra “Inovação e Influência: Os desafios da Comunicação Corporativa”, com mediação do professor Emerson Brito. 

A jornalista contou sobre sua carreira, além de fazer uma análise sobre as mudanças ocorridas no campo da comunicação social desde o surgimento das redes sociais. Camila conta que o Orkut iniciou esse movimento crescente de imersão do público, já que a partir desse período ficou mais fácil para qualquer pessoa produzir e publicar conteúdo. Apresentado esse contexto, Camila levantou questionamentos sobre o papel do relações públicas e como o profissional se situa nesse cenário. 

As grandes questões abordadas foram os desafios que os profissionais de RP encontram no dia-a-dia e que envolve desde gestão de crises a ideias de inovação para marcas e empresas, entre outras. 

Para entender mais sobre o assunto, confira os 5 maiores mitos e desafios em Relações Públicas. 

1 – Mito: Inovação = Tecnologia

Desafio: Propósito: “A marca precisa apresentar um propósito genuíno”

2 – Mito: RP é o fornecedor interno

Desafio: Termômetro: “RP é o termômetro da empresa, é responsável por gerir os assuntos internos e externos e analisar seus impactos” 

3 – Mito: Principal Stakeholder do RP é a imprensa

Desafio: Ecossistema: “O principal stakeholder do RP é todo mundo”

4 – Mito: Grandes empresas inovam facilmente

 

Desafio: Cérebro Ambidextrous: “O constante desafio de se manter criativo” 

5 – Mito: RP é de humanas e “medir” é de exatas

Desafio: Como medir impactos

“Como medir o impacto do RP na comunicação”

Cintia Dal Bello

Cintia Dal Bello

Cíntia Dal Bello é doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, com especializações em Marketing e Comunicação (pela Cásper Líbero) e Cultura e Meios de Comunicação (pela PUC-SP). Como publicitária, acumula experiências em criação publicitária, planejamento de comunicação e marketing escolar. Sua pesquisa versa sobre cibercultura, subjetividade, identidade, tele-existência e imaginário tecnológico. Atualmente, estuda os temas arquetípicos da psicologia profunda para compreender as dimensões da imagem e do imaginário nos processos criativos.

No Comments

Deixe seu comentário...

* campos obrigatórios