Marca x Produto: O que acontece quando passamos pela prova de um teste cego?

Postado em

Os alunos do 1º semestre de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Belas Artes, orientados pela professora Cíntia Dal Bello, desenvolveram um teste cego para checar se os valores propagados por marcaras líderes em seus segmentos são percebidos pelas pessoas quando elas experimentam os produtos sem saberem antecipadamente que marca estão provando. Despidos de embalagem, marca e toda a rede de associações que o histórico de comunicação da empresa tem promovido ao longo dos anos, os produtos foram degustados em conjunto com seus principais concorrentes.

A atividade, proposta na disciplina “Comunicação, Propaganda e Publicidade”, tem por objetivo proporcionar aos estudantes tanto a experiência de desconstruir pré-conceitos vivenciados por eles até o presente momento como consumidores das marcas quanto levá-los a conhecer uma técnica de pesquisa. Se, por um lado, eles aprendem a montar o Briefing e a estruturar questionário e metodologia de aplicação do teste cego, por outro são impactados pela constatação empírica do poder que a comunicação mercadológica perfaz. Não é incomum os estudantes se surpreenderem ao descobrir que sua percepção sobre o produto (por meio de odor, textura, consistência, sabor) não necessariamente relaciona-se à ideia preconcebida a respeito de determinadas marcas. Nem sempre os produtos das marcas líderes são apreciados como “melhores” ou os produtos de marcas menos conceituadas são percebidos como de baixa ou péssima qualidade. Outra constatação é que nem todos, a despeito da experiência de consumo que acumulam, conseguem “descobrir” a marca relativa ao produto que acabaram de experimentar.

Foram testados produtos de várias categorias, tais como achocolatado em pó, leite fermentado, energético, leite condensado, creme de avelã, bolacha waffer, paçoca, batata (salgadinho) e até água! Nem é preciso dizer que essa atividade foi uma delícia, não é mesmo?

Os resultados serão tabulados, analisados e, com base neles, os alunos terão que identificar um problema e criar uma solução publicitária para o mesmo. Até o final do semestre, ainda há muito trabalho pela frente!

Cintia Dal Bello

Cintia Dal Bello

Cíntia Dal Bello é doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, com especializações em Marketing e Comunicação (pela Cásper Líbero) e Cultura e Meios de Comunicação (pela PUC-SP). Como publicitária, acumula experiências em criação publicitária, planejamento de comunicação e marketing escolar. Sua pesquisa versa sobre cibercultura, subjetividade, identidade, tele-existência e imaginário tecnológico. Atualmente, estuda os temas arquetípicos da psicologia profunda para compreender as dimensões da imagem e do imaginário nos processos criativos.

No Comments

Deixe seu comentário...

* campos obrigatórios