Capes: uma agência de fomento à educação superior de qualidade

Blog da Reitoria nº 380, 25 de fevereiro de 2019

Por Prof. Paulo Cardim

“Ensinar exige rigorosidade metódica” (Paulo Freire)

“Avaliar também” (Paulo Cardim)

Os princípios, objetivos e níveis de formação da pós-graduação no Brasil têm sua estrutura definida pelo Parecer CFE nº 977/1965, de autoria do então conselheiro do Conselho Federal de Educação (CFE), Newton Sucupira. Esse parecer norteia até hoje a pós-graduação, em níveis de mestrado e doutorado.

Estávamos em pleno regime militar. Era o início a Reforma Universitária de 1968, que teve em Newton Sucupira e Valnir Chagas os alicerces e a condução do processo de implantação nas universidades federais. O CFE foi o palco relevante para a concretização dessa reforma que, entre outras ações inovadoras, trouxe para a educação superior brasileira a efetiva construção dos programas de mestrado e doutorado. Era o início da formação de capital intelectual para desenvolver a educação superior em nosso país.

Para atender aos objetivos da Reforma Universitária de 68, a Campanha Nacional de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, criada pelo Decreto nº 29.741, de 1951, no governo Vargas, foi transformada na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, a Capes.

A Campanha tinha por objetivo “assegurar a existência de pessoal especializado em quantidade e qualidade suficientes para atender às necessidades dos empreendimentos públicos e privados que visam ao desenvolvimento do país”.

A Capes desenvolve suas atividades por meio de linhas de ação, estruturadas em um conjunto articulado de programas:

− avaliação da pós-graduação stricto sensu,

− acesso e divulgação da produção científica,

− investimentos na formação de recursos de alto nível no país e exterior,

− promoção da cooperação científica internacional e

− indução e fomento da formação inicial e continuada de professores para a educação básica nos formatos presencial e a distância.

A estrutura organizacional e a qualidade de seus gestores e consultores fizeram da Capes, ao longo de mais de cinco décadas, uma agência de fomento à formação de talentos para atuarem na educação, ciência e tecnologia, em qualquer tipo de organização acadêmica.

Na semana finda, tomaram posse os vinte novos membros do Conselho Superior da Capes com a relevante presença dos ministros da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, Marcos Pontes. Na oportunidade, Anderson Ribeiro Correia tomou posse na Presidência da CAPES.

Na oportunidade, foram abordados os projetos prioritários, que envolve esses dois ministérios, como Ciência na Escola e Alfabetização, metas prioritárias nos cem dias da gestão do governo de Jair Bolsonaro. Marcos Pontes destacou o trabalho em conjunto, das duas Pastas. O ministro Vélez Rodriguez reconheceu a importância do trabalho da Capes e afirmou que “sem educação, ciência e tecnologia não teremos desenvolvimento”.

O presidente da Capes, Anderson Ribeiro Correia, por outro lado, destacou as metas principais em sua atuação como presidente da Capes:

− aproximação com o setor privado,

− compreensão do impacto social e regional da pesquisa,

− alinhamento entre o destino dos recursos e os resultados da avaliação,

− internalização e

− trabalho integrado das agências de pesquisa.

A posse do presidente e dos novos membros do Conselho Superior da Capes, com a presença dos ministros da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, Marcos Pontes, assinala a importância histórica da Capes para a formação de mestres e doutores para a educação de forma geral. A aprovação e regular funcionamento dos cursos de pós-graduação stricto sensu possibilitam aperfeiçoar a qualidade do ensino superior ministrado, desde que haja um percentual proporcional e razoável de professores profissionais (com mestrado ou doutorado) e de PROFISSIONAIS PROFESSORES, que atuam efetivamente com qualidade no mercado de trabalho.

Um bom corpo docente não pode e não deve ser composto exclusivamente de professores profissionais ou de PROFISSIONAIS PROFESSORES, cabendo aos dirigentes dosar com a eficácia e eficiência a composição do corpo docente de um determinado curso a fim de que haja o necessário equilíbrio de conhecimento.

A nova Capes tem um papel relevante na gestão do ministro Vélez Rodriguez, a fim de atender ao seu propósito de, efetivamente, elevar a qualidade da graduação, com a ampliação da oferta de mestrados e doutorados, qualificados com o selo Capes.

“É mais fácil governar um povo culto, cioso de suas prerrogativas e direitos, que tem nítida a compreensão de seus deveres, que um povo ignaro, indócil, sem iniciativa e inimigo do progresso”.

“O papel da instrução é preparar e formar homens capazes e úteis à sociedade; o papel do governo é fornecer meios fáceis de se adquirir a instrução, disseminando escolas e patrocinando iniciativas boas confiadas à competência e ao amor de quem promove tão nobilitante tarefa”.

Prof. Carlos Alberto Gomes Cardim

Diretor da Escola Normal Caetano de Campos

Educador e Inspetor de Alunos, 1909

Irmão do fundador do

Centro Universitário Belas Artes de São Paulo

Pedro Augusto Gomes Cardim

Post to Twitter Post to Plurk Post to Yahoo Buzz Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz Post to LinkedIn