Educação serve para libertar, nunca para aprisionar.

Este espaço reflete as opiniões pessoais do autor

Há mais de 10 anos assino semanalmente esse blog e público aqui artigos referentes à educação, política e assuntos gerais que impactam a sociedade e que considero importantes. Todos refletem tão somente meu ponto de vista sobre esses temas e experiência construída em mais de 50 anos de vida dedicada à educação.

Respeito o indivíduo e suas escolhas. Sou também um indivíduo, e alegra-me saber que vivo em um país democrático onde posso me expressar livremente. Liberdade individual! Meu Norte, desde a juventude! Afinal, a palavra que mais aparece na Declaração Universal de Direitos Humanos da ONU (1948) é precisamente: LIBERDADE.

O Students for Liberty é uma rede de estudantes pró-liberdade em todos os continentes. O Brasil tem uma de suas unidades nacionais.

Em recente postagem, o Students for Liberty Brasil afirma que “para uma sociedade livre funcionar, é importante que diferentes perspectivas políticas sejam toleradas. Ninguém tem o direito de intimidar o outro pelo silêncio ou pelo uso da força. Um ambiente em que as pessoas possam ser criminalizadas por expressar seu ponto de vista servirá apenas para promover amargura e ressentimento. [...] A liberdade de expressão envolve um certo grau de tolerância e respeito mútuo, pelo qual um indivíduo pode não gostar do que alguém diz, mas defenderia seu direito de dizê-lo”. Discordar sem gostar menos, este é o meu propósito.

Reconheço a liberdade dos estudantes se manifestarem sobre os assuntos relevantes do país, como as eleições, assim como os dirigentes educacionais e qualquer cidadão dentro da Lei o do Regimento interno da IES. A liberdade de expressão é assegurada pela Constituição, sem qualquer restrição.

A experiência trouxe a visão ampliada do que urge e do que é geracional, pontual, momentâneo. Portanto, com ampla trajetória no cenário político e participação ativa, há décadas, nas entidades representativas do ensino superior da livre iniciativa, dirigente de uma instituição quase centenária, a minha preocupação sempre será com o futuro do Brasil para meus netos e alunos, visando o contexto global e visando o contexto complexo de um país plural e carente como nosso Brasil, sem deixar de imperar a LIBERDADE.

Finalizo recomendando fortemente à comunidade acadêmica docente, discente ou administrativa que SEMPRE escute opiniões diferentes, mesmo que seja para reafirmar suas próprias crenças.

Educação serve para libertar, nunca para aprisionar.

Paulo Antônio Gomes Cardim

Post to Twitter Post to Plurk Post to Yahoo Buzz Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz Post to LinkedIn