Natal e Ano-Novo: reverência ao Mestre e promessas inspiradoras

Blog da Reitoria nº 423, de 23 de dezembro de 2019.

Por Prof. Paulo Cardim

“Ensinar exige rigorosidade metódica” (Paulo Freire)

“Avaliar também” (Paulo Cardim)

Os historiadores registram que o Natal, antes comemorado em várias datas, passou a ser comemorado, a partir do século 4, no dia 25 de dezembro, na Roma Antiga, data estimada do nascimento de Jesus de Nazaré.

O Natal é uma festa cristã. Comemora o nascimento de Jesus de Nazaré, o Cristo. Não é – ou não deveria ser – uma festa pagã. Jesus, nosso Mestre, é referenciado como aquele que ilumina as nossas vidas, irradia bênçãos de luzes sobre todos os seres humanos, cristãos ou não. Segundo a tradição ocidental, ELE governa o nosso planeta com Amor.

O símbolo de Natal é o Papai Noel, um velhinho bom, que distribui presentes e alegria.

O espírito natalino irradia amor, fraternidade, paz, reconciliações, perdão.

Na passagem de 31 de dezembro para 1º de janeiro, comemora-se o Ano-Novo. É uma festa pagã, identificada como réveillon, que tem o significado de despertar para um novo ano, um novo tempo. É o momento das promessas (que nem sempre conseguimos cumprir…).

As comemorações do Ano-Novo são anteriores a Era Crista. Em 46 a.C, Júlio César, imperador romano, editou um decreto estabelecendo o dia 1º de janeiro como o Dia do Ano-Novo. Cada país comemora essa data de acordo com as suas tradições, sua cultura, seu povo.

No Brasil, as religiões marcam essa data com rituais diferenciados. É tradição o uso de roupas brancas, oferendas a Iemanjá, missas, cultos e, nas ruas, um carnaval fora de época, conhecido como réveillon. É hora de renovar votos de fraternidade, esperança. É, mais, a oportunidade de reflexões sobre os acontecimentos do ano que se finda e do que pode acontecer no ano que se inicia. Daí as promessas inspiradoras.

A Belas Artes completa mais um ano de existência. É o momento de refletirmos sobre o nosso passado e o nosso futuro. Idem o nosso Time. Nas férias de fim de ano, além de comemorarmos essas datas significativas em nossa formação cristã, refletimos sobre a nossa produtividade em 2019 e planejamos as inovações para 2020, quando se inicia a segunda década desta Nova Era. Uma Era Digital, onde a informação e o conhecimento estão disponíveis a todos, não importando a raça, a cor da pele, a nacionalidade, a classe social e econômica, o sexo, a orientação sexual, a geração.

O Time Belas Artes trabalha para inovar, sob o guarda-chuva da economia criativa, aprendendo com os erros e acertos de 2019 para uma educação de mais qualidade em 2020, na busca, sempre, da excelência em suas funções de gestão, ensino, pesquisa e extensão.

O espírito natalino de amor e paz e o Ano-Novo de renovação e promessas reinam em nossa comunidade, quando encerramos mais um ano letivo e planejamos um novo ano letivo, em 2020.

É o momento de juntos – discentes, docentes, técnico-administrativos, gestores e demais colaboradores – elevarmos o nosso pensamento ao CRIADOR e rogar luzes para as nossas vidas e as nossas decisões pessoais, profissionais, educacionais. Agradecer a ELE tudo que conquistamos neste ano que se encerra e almejar sejam renovadas em 2020.

Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

“É mais fácil governar um povo culto, cioso de suas prerrogativas e direitos, que tem nítida a compreensão de seus deveres, que um povo ignaro, indócil, sem iniciativa e inimigo do progresso”.

“O papel da instrução é preparar e formar homens capazes e úteis à sociedade; o papel do governo é fornecer meios fáceis de se adquirir a instrução, disseminando escolas e patrocinando iniciativas boas confiadas à competência e ao amor de quem promove   tão nobilitante tarefa”.

Prof. Carlos Alberto Gomes Cardim

Diretor da Escola Normal Caetano de Campos

Educador e Inspetor de Alunos, 1909

Irmão do fundador do

Centro Universitário Belas Artes de São Paulo

Pedro Augusto

Post to Twitter Post to Plurk Post to Yahoo Buzz Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook Post to Google Buzz Post to LinkedIn